Erro

[OSYouTube] Alledia framework not found

Chamada pública para bolsistas de comunicação

 

Post chamada de comcom

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS DE EXTENSÃO 

(Projeto Rádio Laboratório de Comunicação Comunitária (Ralacoco), Projeto Educação Midiática para Jovens e Adolescentes, Projeto Comunicação Comunitária e Projeto Nossas Vozes) 

7 a 14 de abril de 2022

Chamada pública para seleção e formação de cadastro reserva de Estudantes da Graduação interessados/as em participar para atuação nos projetos de extensão “Projeto Rádio Laboratório de Comunicação Comunitária (Ralacoco)”, “Projeto Nossas Vozes”, “Educação Midiática” e  “Projeto Comunicação Comunitária” vinculado ao Edital Pibex 2022

O CRIAR BRASIL – Centro de Imprensa, Assessoria e Rádio

Tendo em mente as definições da professora e pesquisadora Cicilia Maria Krohling Peruzzo sobre a Comunicação Popular e Comunitária e Comunicação Popular Alternativa, ambas vertentes da CPAC (Comunicação Popular, Alternativa e Comunitária), Inicialmente, é relativamente fácil confundir a vertente da CPAC apresentada neste estudo de caso, devido o fato de O CRIAR BRASIL-Centro de Imprensa, Assessoria e Rádio ter uma articulação popular e formadora de comunicadores populares, porém, a princípio, não parece possuir uma atuação constante em comunidades periféricas da cidade do Rio de Janeiro ou de qualquer outra cidade do Brasil, com foco principal na participação horizontal dessas comunidades atendendo assim às suas demandas, com finalidade educativa, cultural e mobilizadora. Por isso, O CRIAR BRASIL parece estar mais próximo da Comunicação Popular Alternativa, ainda que muitas das suas ações vão de encontro a Comunicação Popular e Comunitária.

Rádio Comunidade Gama 98,1 e sua programação diversificada

Rádio Comunidade Gama 98,1

Com uma programação variada que conta com notícias, pautas musicais, questões culturais e religiosas, a rádio se propõe a interagir com uma vasta parcela da comunidade inserindo- se de maneira efetiva no cotidiano dos cidadãos de modo a conectar-se com a cidadania amparada pela Constituição Brasileira e propor a discussão dos fatos de modo imparcial e engajado.

 

Fala Brazlândia: uma proposta de jornalismo alternativo colaborativo

 

O canal Fala Brazlândia foi criado em 2018 pelo jornalista Renato Godoy com o propósito de colaborar com o pessoal que sente a necessidade de exigir e mostrar a realidade da região. Trata-se de um jornalismo alternativo . O canal Fala Brazlândia é um canal que aborda diversos temas relacionados à Brazlândia onde os moradores mandam através do WhatsApp ou de outras redes sugestões de pautas, denúncias, flagrantes, vídeos e/ou fotos de acontecimentos que eles presenciaram e podem ser uma notícia relevante para ser reportada, que é rapidamente observada pelo criador que tem disponibilidade rápida.

Propriamente dito, caracterizado como de informação geral, à semelhança dos diários, semanários ou mensários, porém com abordagem crítica. Esse último modelo se constitui num tipo especial de jornal caracterizado como independente e não alinhado a governos e ao modo de operar da grande mídia, o qual inclui o funcionamento do meio enquanto empresa privada e a consequente submissão à lógica do mercado, como forma de gerar lucros, sistema de gestão burocrático e alinhamento estratégico aos interesses ideológicos e políticos das classes dominantes (PERUZZO, 2006). 

Índios e agricultores lutam contra exploração hídrica de seus territórios

À primeira vista, as usinas hidrelétricas podem parecer uma forma ecológica e sustentável de gerar energia. Porém, para a construção dessas usinas, é necessário inundar grandes áreas, as quais, muitas vezes, incluem biomas ameaçados, fazendas produtivas e até mesmo cidades inteiras! E é contra essa grande ameaça que a Rede Juruena Vivo se propõe a lutar.

A comunicação na Rota do Café

O É o combatente é o jornal online das divisas vértice Sudeste (MG, RJ e ES). A iniciativa surgiu de maneira espontânea, segundo seu criador Francisco de Abreu Cabral, mais conhecido como Chico Fogueteiro ou Xyko É o Combatente. A  partir da diversificação e facilitação trazida pelas redes sociais, Francisco formalizou o que já fazia: fotografar eventos e acontecimentos da região. Este trabalho rendia material para a grande imprensa que o contactava para conseguir conteúdo.

Diário de Ceilândia

Histórico e contextualização

 

O Diário de Ceilândia é um veículo de comunicação voltado para a população da Ceilândia, criado em 2010 no formato de blog. Em 2014, os responsáveis pelo blog mudaram o formato do jornal para como é atualmente, seguindo como exemplo o" Voz das comunidades", um meio de comunicação comunitária das favelas do Rio de Janeiro, sendo hoje um afiliado do jornal.      O propósito do jornal é levar notícias da Ceilândia para os moradores da cidade, aproximando e dando voz aos mesmos. A Ceilândia é uma cidade muito grande, com uma alta demanda de notícias diariamente, por isso o jornal local foi criado para atender a população, ampliar os debates e democratizar a informação. Ele é produzido de forma independente e hoje já atua em diversas plataformas de comunicação como Instagram,Youtube, Facebook e Twitter.

Fonte: Print do instagram e do site oficial | Diário de Ceilândia

O jornalismo de resistência feito pelo Alma Preta

A busca por um jornalismo negro, indepedente do sistema dominante, é pautado desde os primeiros anos do surgimento da imprensa no Brasil. O primeiro jornal voltado para as questões da população preta no país foi o "O homem de cor" ou " O mulato", em 1883. A imprensa negra tem reivindicado esse espaço para combater e divulgar as desigualdades que diariamente sofre o povo negro. É a partir deste lugar que o Alma Preta Jornalismo surge. 

Agência Tambor apoia ações de comunicação comunitária em São Luís - Maranhão

     

   A Agência Tambor é uma agência de notícias e rádio web de São Luís - MA que se apresenta em todos os seus perfis digitais como uma uma ação de apoio à comunicação livre, popular, comunitária e  alternativa. Fundada em março de 2018, a Tambor recebeu esse nome em homenagem à comunicação quilombola, que em vários casos recorre ao toque dos tambores para reunir a comunidades e dar as notícias que são de seu interesse. 

O jornal anarquista que manifesta o sindicalismo e populariza o bakuninismo

comcom222A União Popular Anarquista (UNIPA) se destaca pela articulação e mobilização em prol da luta de classes.  Com carater revolucionário e tendo como base os ideais bakuninista, o jornal da União, Causa do Povo, noticia pautas que por vezes são pouco detalhadas, ou até menos não noticiadas, pela grande mídia.

Instituto NoSetor propõe transformação cultural e social no Setor Comercial Sul

O movimento reúne participantes e colaboradores de toda a cidade para a renovação do centro de Brasília, por meio da produção de conteúdo autêntico e movimentação e reforma do espaço. Além disso, o Instituto tem foco no auxilio de pessoas em vulnerabilidade social que habitam o Setor Comercial, e na mobilização para proporcionar uma melhor qualidade de vida a essas pessoas.

Voz das Comunidades e sua trajetória de engajamento social

image1O jornal comunitário Voz das Comunidades teve início quando Renê Silva, um menino inquieto com o que havia em sua comunidade, começou a participar de um jornal na escola e percebeu que essa iniciativa poderia fazer parte de sua vivência, o Morro do Adeus, que faz parte do Complexo do Alemão no Rio de Janeiro (RJ). 

Quilombolas de Santarém mobilizam ações coletivas contra avanço da covid-19

A ação é resultado de uma iniciativa promovida no Pará pela Federação das Organizações Quilombolas de Santarém (FOQS) através do Projeto Omulu – Terra de Quilombo. O projeto gerido pelos quilombolas foi pensado a partir da necessidade de conscientizar e proteger os quilombolas da cidade do avanço do novo coronavírus.

Subcategorias