Erro

[OSYouTube] Alledia framework not found

Instituto NoSetor propõe transformação cultural e social no Setor Comercial Sul

Captura de Tela 2020 11 29 às 21.02.22

O Instituto No Setor nasceu no início de 2018 com o objetivo de renovar o Setor Comercial Sul a partir da ocupação e da ressignificação desse espaço, tendo como primeira iniciativa o projeto Setor Carnavalesco Sul. Nesse processo, o instituto promoveu diversas iniciativas culturais e sociais, e fortaleceu o vínculo com a população em situação de rua que ali habitava. 

Através da movimentação e geração de renda advinda dos projetos promovidos pelo instituto, além da arrecadação de doações destinadas à população dali, os integrantes compreenderam a necessidade de assumir forma jurídica, em setembro de 2019. A partir daí, a iniciativa tornou-se Instituto Cultural e Social No Setor e trabalha para dar melhor condições de vida às pessoas em vulnerabilidade social vivendo no centro de Brasília, provendo atendimentos psicológicos, cadastros e acompanhamentos de demanda de documentos, capacitações sociais, além da promoção de eventos culturais neste espaço.

O Instituto trabalha com uma rede de colaboradores voluntários e parceiros, além de doadores mensais, e estão à frente do projeto os produtores culturais Ian Viana e Felipe Veloso. Fazem parte da rede e são parceiros do instituto: a Casa da Cultura da América Latina, a Universidade de Brasília, a Administração Regional do Plano Piloto, o Museu Correios, o SESC Presidente Dutra, a Associação Comercial do Distrito Federal, o Venâncio Shopping, entre outras organizações. 

A equipe fixa trabalha com ações no Setor Comercial e aceita voluntários para manter sua estrutura, colaborando com projetos como a horta comunitária, a gestão e construção de espaços físicos, como o banheiro público recém construído, o gerenciamento das redes sociais que promovem conversas e entrevistas com convidados diversos, e a produção do jornal Jararaca.

O Instituto Cultural e Social No Setor possui algumas frentes comunicacionais: suas redes sociais, principalmente o instagram, como plataforma de divulgação de notícias imediatas, promoção de conteúdos educativos acerca da situação do ambiente do Setor Comercial, e divulgação de lives na série "No Setor Convida", com temas como ocupação do espaço urbano, cultura popular, e paradigmas socioambientais; a recente plataforma de blog, que serve como acompanhamento de notícias que envolvem o instituto; e por fim, o Jornal Jararaca – o jornal do centro, veículo impresso distribuído gratuitamente em diversos pontos do SCS, mas que, na pandemia, teve sua primeira versão digital.

O Jornal Jararaca serve como plataforma de comunicação política e social, e também como meio de divulgação de artistas brasilienses, muitas vezes promovendo concursos para o público submeter artes e poesias para aparecerem na edição. O jornal já conta com 15 edições, lançadas mensalmente desde abril de 2019.

As ações culturais do grupo são várias, além do Setor Carnavalesco Sul – que no ano de 2020 teve um público de mais de 70 mil pessoas – também promoveu o "Encontro de Grafite" em 2019, com 60 artistas convidados, o "No Setor Convida", com 30 edições presenciais e online,  o "SCS Tour", que apresenta a história, arquitetura e cultura deste espaço em um passeio a pé, e o "Setor Criativo Sul", que consiste em uma rede de intervenções tecnológicas, artísticas e políticas em diversos locais públicos do SCS.

Durante a pandemia, o Instituto presenciou um forte ataque à população de rua que habita o Setor Comercial, onde uma operação policial a mando do governo retirou todos seus pertences, incluindo roupas, cobertores, e documentos. O Instituto fez frente a esse ataque, lançando campanhas de mobilização através das redes sociais e arrecadando doações para este fim. 

 

Fontes consultadas

https://nosetor.com.br/

https://www.instagram.com/nosetor/

https://nosetor.com.br/jornal-jararaca/

https://www.instagram.com/jornaljararaca/

https://globoplay.globo.com/v/8840962/?utm_source=whatsapp&utm_medium=share-bar